Monthly Archives: Outubro 2010

Happy Halloween !

Padrão

Alguns significados simbólicos:

A abóbora – simboliza a fertilidade e a sabedoria.

A vela – indica os caminhos para os espíritos do outro plano astral.

O caldeirão – fazia parte da cultura – como mandaria a tradição. Dentro dele, os convidados devem atirar moedas e mensagens escritas com pedidos dirigidos aos espíritos.

A vassoura – simboliza o poder feminino que pode efetuar a limpeza da eletricidade negativa. Equivocadamente, pensa-se que ela servia para transporte das bruxas.

As moedas – devem ser recolhidas no final da festa para serem doadas aos necessitados.

Os bilhetes com os pedidos, devem ser incinerados para que os pedidos sejam mais rapidamente atendidos, pois se elevarão através da fumaça.

A aranha – simboliza o destino e o fio que tecem suas teias, o meio, o suporte para seguir em frente.

O morcego – simbolizam a clarividência, pois que vêem além das formas e das aparências, sem necessidades da visão ocular. Captam os campos magnéticos pela força da própria energia e sensibilidade.

O sapo – está ligado à simbologia do poder da sabedoria feminina, símbolo lunar e atributo dos mortos e de magia feminina.

Gato preto – símbolo da capacidade de meditação e recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade. Plena harmonia com o Unirverso

Cores:

Laranja – cor da vitalidade e da energia que gera força. Os druidas acreditavam que nesta noite, passagem para o Ano Novo, espíritos de outros planos se aproximavam dos vivos para vampirizar a energia vital encontrada na cor laranja.

Preto – cor sacerdotal das vestes de muitos magos, bruxas, feiticeiras e sacerdotes em geral. Cor do mestre.

Roxo – cor da magia ritualística.

Anúncios

Happy Halloween !

Padrão

Alguns significados simbólicos:

A abóbora – simboliza a fertilidade e a sabedoria.

A vela – indica os caminhos para os espíritos do outro plano astral.

O caldeirão – fazia parte da cultura – como mandaria a tradição. Dentro dele, os convidados devem atirar moedas e mensagens escritas com pedidos dirigidos aos espíritos.

A vassoura – simboliza o poder feminino que pode efetuar a limpeza da eletricidade negativa. Equivocadamente, pensa-se que ela servia para transporte das bruxas.

As moedas – devem ser recolhidas no final da festa para serem doadas aos necessitados.

Os bilhetes com os pedidos, devem ser incinerados para que os pedidos sejam mais rapidamente atendidos, pois se elevarão através da fumaça.

A aranha – simboliza o destino e o fio que tecem suas teias, o meio, o suporte para seguir em frente.

O morcego – simbolizam a clarividência, pois que vêem além das formas e das aparências, sem necessidades da visão ocular. Captam os campos magnéticos pela força da própria energia e sensibilidade.

O sapo – está ligado à simbologia do poder da sabedoria feminina, símbolo lunar e atributo dos mortos e de magia feminina.

Gato preto – símbolo da capacidade de meditação e recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade. Plena harmonia com o Unirverso

Cores:

Laranja – cor da vitalidade e da energia que gera força. Os druidas acreditavam que nesta noite, passagem para o Ano Novo, espíritos de outros planos se aproximavam dos vivos para vampirizar a energia vital encontrada na cor laranja.

Preto – cor sacerdotal das vestes de muitos magos, bruxas, feiticeiras e sacerdotes em geral. Cor do mestre.

Roxo – cor da magia ritualística.

Uma notícia de pôr os olhos em bico – China está disponível para comprar a dívida portuguesa

Padrão

Conjuntura (act.)

China está disponível para comprar dívida portuguesa

Económico com Lusa

28/10/10 10:00
——————————————————————————–

A vice-ministra dos Negócios Estrangeiros chinesa acredita que as medidas do Governo português vão no sentido certo.
A China manifestou-se hoje disponível para “participar no esforço de recuperação económica e financeira” de Portugal.
A vice-ministra dos Negócios Estrangeiros chinesa afirmou hoje que o país está disponível para comprar títulos do tesouro português.
“A situação económica e financeira em Portugal tem sido sempre o centro das nossas atenções”, disse a vice-ministra dos Negócios Estrangeiras chinesa, Fu Ying, quando questionada, em Pequim, sobre a possibilidade de a China adquirir parte da dívida portuguesa.
A responsável sublinhou ainda que “a Europa tem sido sempre um dos principais mercados para o investimento das reservas da China em divisas”.
“Temos vontade para participar nos esforços dos países europeus para recuperar da crise”, afirmou Fu Ying, antiga embaixadora da China em Londres e responsável pelas relações com a Europa.
Referindo-se ainda a Portugal, Fu Ying manifestou-se confiante que o país conseguirá ultrapassar a crise actual.
“Acreditamos que as medidas tomadas pelo Governo português conduzirão à recuperação dos sectores económico e financeiro de Portugal”, disse.
Fu Ying falava num encontro com os jornalistas sobre a anunciada visita do Presidente chinês, Hu Jintao, a França e a Portugal, de 4 a 7 de Novembro.
As reservas da China em divisas, as maiores do mundo, somavam 2,65 biliões de dólares (1,92 biliões de euros) em Setembro passado, segundo o banco central chinês.
———————–
Minha opinião :

Meus Deus !!!!

Se eles nos compram vamos ser os melhores do mundo!
Não há dinheiro para ir fazer compras? Não tem mal, qualquer cão e gato da rua ( ou até dos vizinhos, se eles não virem a apanhá-los) , serve de refeição.
Deixamos de ter criminosos. Todos os que forem apanhados levam um tiro “nos cornos” e a família paga as balas usadas.
Liberdade de expressão? Nós não precisamos de falar nada. Somos tão burros que mais vale ficarmos calados.
Poupança nos bancos? Temos mas é de poupar o “couro” para alinhar a trabalhar sem as mordomias a que nos acostumámos porque o zé povinho só precisa de uma “bucha” para engolir nos cinco minutos do almoço.
Quanto aos carrinhos, andem a pé ou de bicicleta porque os chinas também andam e só faz bem à saúde!

Nem vou alongar mais esta listinha de benéces se ficarmos debaixo da alçada dos chinocas
Já tenho o estômago suficientemente embrulhado.

**** Dom Afonso Henriques, porque cargas d’água tiveste de inventar Portugal ???? ****
Raios me partam se não estavamos melhor com os “nuestros hermanos” !
( E jurava eu que nunca iria considerar a hipótese sequer de aceitar perder a soberania para Espanha. )

….2012 demoras muito? ….

O rodeio dos imbecis – Ruth de Aquino

Padrão

O rodeio dos imbecis

RUTH DE AQUINO
é diretora da sucursal de ÉPOCA no Rio de Janeiro

Universitários que “montam” à força em colegas gordas, numa competição para ver “qual peão” fica mais tempo sobre as meninas, são o retrato cru de uma sociedade doente e sem noção. O “rodeio das gordas” aconteceu em outubro em jogos oficiais de uma universidade importante, a Unesp, em São Paulo – não em algum rincão remoto. Não envolveu capiau nem analfabeto. Foi a elite brasileira, a que chega à universidade. Estamos no século XXI e assistimos perplexos à globalização da ignorância moral.

Mais de 50 rapazes, da Universidade Estadual de São Paulo, organizaram o ataque às gordas num evento esportivo e cultural com 15 mil universitários. Uma comunidade no Orkut definiu as regras: “Todo peão deve permanecer oito segundos segurando a gorda”; “gordas bandidas são mais valiosas”; “o corpo da gorda tem de ser grande, bem grande”. Os estudantes se aproximavam das meninas como se fossem paquerá-las. Aproveitavam para agarrá-las e montar nelas, e as que mais lutavam contra a agressão eram apelidadas de “gordas bandidas”. Uma referência ao touro Bandido, personagem da novela América. “A cada coice tomado, o peão guerreiro ganha 1 ponto”, anunciava o site de relacionamento.

A repercussão assustou os universitários. Roberto Negrini, um dos organizadores do torneio e filho de advogada, chamou tudo de “brincadeira”, mas pediu desculpas à diretoria da Unesp e se disse arrependido. Tentou convencer a todos de que “não houve preconceito”. Sites e blogs foram invadidos por comentários indignados. Mas havia muitos homens aplaudindo “a criatividade” dos estudantes. O internauta Arnaldo César Almeida, de São Paulo, propôs transformar a competição num “esporte olímpico”. Outro, que se identificou como Alexandre, escreveu: “Me divirto vendo esses kibes (sic) humanos dando coice! Vou até instalar uma baleia mecânica para treinar”.

Quem são os pais e as mães desses rapazes? A maior responsabilidade é da família. O que fez ou onde estava quem deveria tê-los educado com valores mínimos de cortesia e respeito ao próximo? Jovens adultos que agem assim foram, de alguma maneira, ignorados por seus pais ou receberam péssimos exemplos em casa e na comunidade onde cresceram.

O “rodeio das gordas”, promovido nos jogos da Unesp, é o retrato de uma sociedade doente

Não foi uma semana edificante. Meninas adolescentes, numa escola paulista em Mogi das Cruzes, trocaram socos. A mais agredida, de 14 anos, disse: “Alguns têm dó, mas outros ficam rindo porque eu apanhei”. Em Brasília, uma estudante usou a lâmina do apontador para navalhar o rosto e o pescoço da colega. No Rio de Janeiro, uma professora foi presa por manter relações sexuais com uma aluna de 13 anos. A loura da Uniban, Geisy Arruda, posou pelada, sem o microvestido rosa-choque, mostrando que tudo acaba na busca de fama e uns trocados.

Está na hora de adultos pensarem com cautela se querem colocar um filho no mundo. Se querem cuidar de verdade dessa criança. Ouvir, conversar, beijar, brincar, educar, punir, amparar, dedicar um tempo real para acompanhar seu crescimento, suas dúvidas e inquietações. Descaso, assédio moral e físico contra crianças, brigas entre pai e mãe, separações litigiosas podem levar a tragédias como a que matou a menina Joanna. Submetida a maus-tratos e negligência, Joanna talvez tenha simplesmente desistido de continuar no inferno em que se transformara sua vida aos 5 anos de idade.

Não sou moralista. Mas a sociedade mergulhou numa disputa de baixarias. As competições escancaradas na TV aberta, sob a chancela de “entretenimento”, estimulam a humilhação pública e a indignidade humana. Comer pizza de vermes e minhocas vivas, deixar ratos e cobras passear pelo corpo de uma moça de biquíni, resistir a vômitos, como prova de determinação e bravura – isso é exatamente o quê? Expor pessoas ao ridículo, enaltecer o lixo, a escória, em canais abertos a crianças e adolescentes… não seria inaceitável numa sociedade civilizada? Diante de alguns programas televisivos, o “rodeio das gordas” pode parecer brincadeira. Mas não é.
—————————
Minha opinião:

 Einstein dizia : “O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer”…
Eu digo que ninguém tem o direito de agredir e humilhar o seu semelhante por puro preconceito ainda para mais numa instituição que está a formar pessoas para serem os pensadores, os políticos, os psicólogos… enfim , os detentores do conhecimento no futuro.
Uma barbárie destas não pode ser suavizada nas consequências a pagar.
As envolvidas devem dar parte deles à justiça e todas as mulheres devem ficar do lado delas.
Os preconceitos e falta de repeito existem porque os que observam deixam acontecer…. 

Uma notícia de pôr os olhos em bico – China está disponível para comprar a dívida portuguesa

Padrão

Conjuntura (act.)

China está disponível para comprar dívida portuguesa

Económico com Lusa

28/10/10 10:00
——————————————————————————–

A vice-ministra dos Negócios Estrangeiros chinesa acredita que as medidas do Governo português vão no sentido certo.
A China manifestou-se hoje disponível para “participar no esforço de recuperação económica e financeira” de Portugal.
A vice-ministra dos Negócios Estrangeiros chinesa afirmou hoje que o país está disponível para comprar títulos do tesouro português.
“A situação económica e financeira em Portugal tem sido sempre o centro das nossas atenções”, disse a vice-ministra dos Negócios Estrangeiras chinesa, Fu Ying, quando questionada, em Pequim, sobre a possibilidade de a China adquirir parte da dívida portuguesa.
A responsável sublinhou ainda que “a Europa tem sido sempre um dos principais mercados para o investimento das reservas da China em divisas”.
“Temos vontade para participar nos esforços dos países europeus para recuperar da crise”, afirmou Fu Ying, antiga embaixadora da China em Londres e responsável pelas relações com a Europa.
Referindo-se ainda a Portugal, Fu Ying manifestou-se confiante que o país conseguirá ultrapassar a crise actual.
“Acreditamos que as medidas tomadas pelo Governo português conduzirão à recuperação dos sectores económico e financeiro de Portugal”, disse.
Fu Ying falava num encontro com os jornalistas sobre a anunciada visita do Presidente chinês, Hu Jintao, a França e a Portugal, de 4 a 7 de Novembro.
As reservas da China em divisas, as maiores do mundo, somavam 2,65 biliões de dólares (1,92 biliões de euros) em Setembro passado, segundo o banco central chinês.
———————–
Minha opinião :

Meus Deus !!!!

Se eles nos compram vamos ser os melhores do mundo!
Não há dinheiro para ir fazer compras? Não tem mal, qualquer cão e gato da rua ( ou até dos vizinhos, se eles não virem a apanhá-los) , serve de refeição.
Deixamos de ter criminosos. Todos os que forem apanhados levam um tiro “nos cornos” e a família paga as balas usadas.
Liberdade de expressão? Nós não precisamos de falar nada. Somos tão burros que mais vale ficarmos calados.
Poupança nos bancos? Temos mas é de poupar o “couro” para alinhar a trabalhar sem as mordomias a que nos acostumámos porque o zé povinho só precisa de uma “bucha” para engolir nos cinco minutos do almoço.
Quanto aos carrinhos, andem a pé ou de bicicleta porque os chinas também andam e só faz bem à saúde!

Nem vou alongar mais esta listinha de benéces se ficarmos debaixo da alçada dos chinocas
Já tenho o estômago suficientemente embrulhado.

**** Dom Afonso Henriques, porque cargas d’água tiveste de inventar Portugal ???? ****
Raios me partam se não estavamos melhor com os “nuestros hermanos” !
( E jurava eu que nunca iria considerar a hipótese sequer de aceitar perder a soberania para Espanha. )

….2012 demoras muito? ….

O rodeio dos imbecis – Ruth de Aquino

Padrão

O rodeio dos imbecis

RUTH DE AQUINO
é diretora da sucursal de ÉPOCA no Rio de Janeiro

Universitários que “montam” à força em colegas gordas, numa competição para ver “qual peão” fica mais tempo sobre as meninas, são o retrato cru de uma sociedade doente e sem noção. O “rodeio das gordas” aconteceu em outubro em jogos oficiais de uma universidade importante, a Unesp, em São Paulo – não em algum rincão remoto. Não envolveu capiau nem analfabeto. Foi a elite brasileira, a que chega à universidade. Estamos no século XXI e assistimos perplexos à globalização da ignorância moral.

Mais de 50 rapazes, da Universidade Estadual de São Paulo, organizaram o ataque às gordas num evento esportivo e cultural com 15 mil universitários. Uma comunidade no Orkut definiu as regras: “Todo peão deve permanecer oito segundos segurando a gorda”; “gordas bandidas são mais valiosas”; “o corpo da gorda tem de ser grande, bem grande”. Os estudantes se aproximavam das meninas como se fossem paquerá-las. Aproveitavam para agarrá-las e montar nelas, e as que mais lutavam contra a agressão eram apelidadas de “gordas bandidas”. Uma referência ao touro Bandido, personagem da novela América. “A cada coice tomado, o peão guerreiro ganha 1 ponto”, anunciava o site de relacionamento.

A repercussão assustou os universitários. Roberto Negrini, um dos organizadores do torneio e filho de advogada, chamou tudo de “brincadeira”, mas pediu desculpas à diretoria da Unesp e se disse arrependido. Tentou convencer a todos de que “não houve preconceito”. Sites e blogs foram invadidos por comentários indignados. Mas havia muitos homens aplaudindo “a criatividade” dos estudantes. O internauta Arnaldo César Almeida, de São Paulo, propôs transformar a competição num “esporte olímpico”. Outro, que se identificou como Alexandre, escreveu: “Me divirto vendo esses kibes (sic) humanos dando coice! Vou até instalar uma baleia mecânica para treinar”.

Quem são os pais e as mães desses rapazes? A maior responsabilidade é da família. O que fez ou onde estava quem deveria tê-los educado com valores mínimos de cortesia e respeito ao próximo? Jovens adultos que agem assim foram, de alguma maneira, ignorados por seus pais ou receberam péssimos exemplos em casa e na comunidade onde cresceram.

O “rodeio das gordas”, promovido nos jogos da Unesp, é o retrato de uma sociedade doente

Não foi uma semana edificante. Meninas adolescentes, numa escola paulista em Mogi das Cruzes, trocaram socos. A mais agredida, de 14 anos, disse: “Alguns têm dó, mas outros ficam rindo porque eu apanhei”. Em Brasília, uma estudante usou a lâmina do apontador para navalhar o rosto e o pescoço da colega. No Rio de Janeiro, uma professora foi presa por manter relações sexuais com uma aluna de 13 anos. A loura da Uniban, Geisy Arruda, posou pelada, sem o microvestido rosa-choque, mostrando que tudo acaba na busca de fama e uns trocados.

Está na hora de adultos pensarem com cautela se querem colocar um filho no mundo. Se querem cuidar de verdade dessa criança. Ouvir, conversar, beijar, brincar, educar, punir, amparar, dedicar um tempo real para acompanhar seu crescimento, suas dúvidas e inquietações. Descaso, assédio moral e físico contra crianças, brigas entre pai e mãe, separações litigiosas podem levar a tragédias como a que matou a menina Joanna. Submetida a maus-tratos e negligência, Joanna talvez tenha simplesmente desistido de continuar no inferno em que se transformara sua vida aos 5 anos de idade.

Não sou moralista. Mas a sociedade mergulhou numa disputa de baixarias. As competições escancaradas na TV aberta, sob a chancela de “entretenimento”, estimulam a humilhação pública e a indignidade humana. Comer pizza de vermes e minhocas vivas, deixar ratos e cobras passear pelo corpo de uma moça de biquíni, resistir a vômitos, como prova de determinação e bravura – isso é exatamente o quê? Expor pessoas ao ridículo, enaltecer o lixo, a escória, em canais abertos a crianças e adolescentes… não seria inaceitável numa sociedade civilizada? Diante de alguns programas televisivos, o “rodeio das gordas” pode parecer brincadeira. Mas não é.
—————————
Minha opinião:

 Einstein dizia : “O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer”…
Eu digo que ninguém tem o direito de agredir e humilhar o seu semelhante por puro preconceito ainda para mais numa instituição que está a formar pessoas para serem os pensadores, os políticos, os psicólogos… enfim , os detentores do conhecimento no futuro.
Uma barbárie destas não pode ser suavizada nas consequências a pagar.
As envolvidas devem dar parte deles à justiça e todas as mulheres devem ficar do lado delas.
Os preconceitos e falta de repeito existem porque os que observam deixam acontecer….